Viver o evangelho e estar preparados para a vida eterna

HINO LIBERAL BRASILEIRO

Silenciaram do Planalto as turbulentas ruas
De um povo paranóico aliendado e silencioso
E o escuro da prisão, com facas luzidias
Brilha na escuridão da cadeia a toda hora

Se o preço dessa desigualdade
Conseguem impor com mão de ferro
Em meio ao cativeiro
Silencia nosso peito nos traz a morte

Ó povo odiado
Maltratado
Morre, morre.

Povo sem sonho e tenso, sentimento mortal
De ódio e de desesperança, na terra cresce
Se em seu maldoso inferno, tristonho e turvo
a imagem do dinheiro desaparece

Pequeno pela sórdida esperteza
És feio, és fraco, amedrotado anão
O teu futuro espelha essa tristeza

És detestada
Mais que a mais vil
És tu senil
Terra odiada

Dos filhos deste colo és senhora vil
Povo odiado
Servil

Deitado sordidamente em papelão estendido
Ao silêncio do ar, e à escuridão do céu imundo
Figuras do senil, vergonha da América
Escurecido pelo sol na nova ordem

Do que a terra mais sofrida
Teus tristonhos, feios trampos tem mais dores
Nossas catacumbas tem mais mortes
Nossa morte, no teu seio mais rancores

Ó povo odiado
Maltratado
Morre, morre

Senil de ódio eterno seja símbolo
A bandeira que ostentas rasgada
Conta-nos o verde desta chama
Guerra no futura, vergonha do passado

Mas se abates da justiça o toco fraco
Verás que os inimigos teus irão à luta
Não treme nem se apavora com a própria sorte

És detestada
Mais que a mais vil
És tu senil
Terra odiada

Dos filhos deste solo és pai senil
Pátria odiada
Senil!

No Comments Yet

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pular para a barra de ferramentas